eu
João Vasconcelos Costa
Espaço de conversa de um epicurista ou, pretensiosamente, a sabedoria (?) de/dos 60s. Açoriano, muitos anos investigador científico, depois professor universitário, passando por diretor de uma instituição de investigação e ensino, tudo isto com algum trabalho feito de estudo da educação superior. Hoje, novamente com responsabilidades de direção universitária. Albergando aqui a perplexidade angustiada da falta de perspetivas de concretização de ideais nunca realizados. Também, mais prosaicamente, o gosto de bem comer.

 

Publicados


A UNIVERSIDADE NO SEU LABIRINTO

uslHá vinte e cinco anos, a universidade sofreu grandes mudanças mas estes anos foram também, por todo o mundo, de novos desafios à missão, organização e funcionamento das universidades. Está a universidade portuguesa a precisar de uma reforma global e coerente ou pode ir-se adaptando por medidas avulsas? É a pergunta a que este livro procura responder, defendendo a necessidade e urgência de uma reforma universitária e contribuindo para um debate que conduza à consensualização na comunidade académica e à concertação com os seus parceiros sociais.

O livro aborda todos os aspectos fundamentais da actividade, da organização e da política universitárias, inserindo-as numa visão moderna e numa cultura internacional, referenciando as discussões ao grande processo de debate sobre o ensino superior a que se assiste por todo o mundo, e em particular na Europa depois do processo de Bolonha, mas que praticamente ainda não chegou a Portugal. Para cada tema, há a preocupação em ser exaustivo na informação, incisivo no diagnóstico, em apresentar uma terapêutica. Indo muitas vezes contra ideias estabelecidas e padrões culturais muito vincados na universidade, este livro será provavelmente um livro polémico. Mas a polémica é saudável.

Prefácio de Sérgio Machado dos Santos

Editorial Caminho, 303 páginas, ISBN 972-21-1417-4, Setembro de 2001top

 

O GOSTO DE BEM COMER

capa-cozinhaHá ainda espaço para a minha situação, de um amador que se gaba de ser criativo, de cultivar a boa técnica culinária, de ser exigente com a qualidade e de ter bom gosto gastronómico (os quatro pés obrigatórios do banco em que se senta qualquer bom cozinheiro)?

Creio que sim, se cumpridas várias condições para um livro de cozinha original: um livro que eduque, gastronomicamente; um livro que dê o exemplo de que, mesmo na cozinha do dia a dia, se pode ter bom gosto e criatividade; um livro que, não pretendendo ser um manual de uma escola profissional de cozinha, forneça as bases mínimas de uma boa técnica culinária; um livro adequado à vida prática de hoje, da maioria das pessoas, que podem gostar - e devem - de fazer um bom jantar de amigos, mas hoje inevitavelmente à custa do tão necessário relaxamento e repouso e, por isto, com uma cozinha de compromisso entre a simplicidade, a originalidade e a qualidade.

Por estas razões, este livro foge à moda actual dos livros de cozinha, livros de luxo e profusos em ilustrações. Este livro é só de receitas (fora as notas mais ou menos divertidas), nada menos do que 211, todas da minha autoria. Mas, porque a criação tem sempre raízes, não podia deixar de incluir, com muitas histórias leves que criam o ambiente, um capítulo sobre a cozinha patrimonial da minha família, um capítulo sobre a cozinha das ilhas açorianas e, finalmente, exemplos do melhor que tenho comido na minha vida de viajante.

Editorial Caminho, 367 páginas, ISBN 972-21-1761-0, Novembro de 2005

Estando esgotado, está disponível como e-book neste sítio.

top

 

 
e-Livros


O MASTRO DAS ALMINHAS

uslQue género de livro? Não é um romance, também não é uma colectânea de contos bem definidos. É uma construção de ficções e de memórias, sobre uma narrativa fantástica, a de se possuir frente a casa um mastro de navio naufragado, onde pousam as alminhas de infância, personagens que, se não foram bem como escritas, bem gostariam de o ter sido. Tudo à mistura com recordações dos Açores e lampejos ilustrativos da cultura de ilhéu. São as histórias do autor, e “um homem é as suas histórias”.

São evocações de memórias infantis, já muito embrulhadas em ficção, tudo à mistura com recordações dos Açores e ligações a aspectos marcantes da minha particular cultura de ilhéu. É uma colecção de personagens pitorescas/picarescas que, se não foram bem como as descrevo, certamente gostariam de ter sido como aqui vêm retratadas. De certa forma, foi uma necessidade minha, sentida, de reencontrar os meus sessenta anos com a meninice decisiva para a nossa construção.

Talvez o que melhor defina este livo despretensioso é a epígrafe que escolhi e que muito me diz: "Creio bem que esta foi a brincadeira final do meu pai. Um homem conta as suas histórias tantas vezes que ele se torna nas suas histórias. Elas ficam para além dele.” (John August, argumento de “O Grande Peixe”, de Tim Burton).

Publicado online, inicialmente, por Sinapses, 2005. Agora disponível para "download" neste sítio.top

 

OLHANDO PARA A UNIVERSIDADE

uslOutro e-livro, para ler online ou para descarregar e imprimir ou visualizar com Adobe Reader. Já desisti da "glória" da presença no escaparate nas livrarias. É uma compilação seleccionada e organizada por temas das entradas sobre educação superior no velho "Professorices".

Infelizmente, ainda mantêm actualidade e dão um retrato do que tem sido a discussão sobre a nossa educação superior, nos últimos anos.

O texto, em formato PDF, não pode ser editado. Está formatado simetricamente, com margens iguais, para poder ser impresso tanto normalmente como nos dois lados da folha de papel. Para impressão dos dois lados também há uma versão especial. Não é permitido o seu uso para fins comerciais, mas pode ser passado livremente a outros interessados e impresso em cópias múltiplas. top

 


OLHANDO PARA A UNIVERSIDADE II

uslSegundo e-livro da série, para ler online ou para descarregar e depois imprimir ou visualizar com Adobe Reader. É novamente uma compilação seleccionada e organizada por temas das entradas sobre educação superior no blogue "ApontamEntoS", entre Maio de 2006 e Abril de 2007.

O texto, em formato PDF, não pode ser editado. Está formatado simetricamente, com margens iguais, para poder ser impresso tanto normalmente como nos dois lados da folha de papel. Não é permitido o seu uso para fins comerciais, mas pode ser passado livremente a outros interessados e impresso em cópias múltiplas.top

 


LIVRO DE RECEITAS - I

uslCompilação (por agora volume I) das mais de uma centena de receitas que publiquei na minha página de receitas ao longo destes últimos anos.

Vai como e-book gratuito, em formato PDF. Se quiserem imprimir, são só 60 páginas. Como é mistura de coisas publicadas na net em momentos e com motivações diferentes, é bastante incoerente, mas usem como puderem.

A declaração autocrítica de limitações vai logo na primeira página. O meu único lucro pretendido, até muito desejado, é que sirva para alguma coisa.

top