eu
João Vasconcelos Costa
Espaço de conversa de um epicurista ou, pretensiosamente, a sabedoria (?) de/dos 60s. Açoriano, muitos anos investigador científico, depois professor universitário, passando por diretor de uma instituição de investigação e ensino, tudo isto com algum trabalho feito de estudo da educação superior. Hoje, novamente com responsabilidades de direção universitária. Albergando aqui a perplexidade angustiada da falta de perspetivas de concretização de ideais nunca realizados. Também, mais prosaicamente, o gosto de bem comer. E peripatético, que isto de ficar sentado é coisa de velhos.

 

Os Açores são aminha infância e juventude. Não são só um espaço, são principalmente um tempo, aquele que tento reencontrar quando lá vou. Os textos que se seguem devem ser lidos a essa luz. São exemplos apenas mais destacados aqui de manifestações de uma alma de ilhéu. Todavia, quem conhecer minimamente a insularidade, intui-la-á em muitas outras páginas deste "sítio".   foto1foto2 foto3foto4 foto5foto6